Saiba como

Diferentes formas de economizar dinheiro e conservar alimentos

Atitudes simples por parte dos consumidores e comerciantes podem reduzir dramaticamente a quantidade atual de 1.3 bilhão de toneladas de comida perdida ou desperdiçada por ano e ajudar a formar um futuro sustentável, de acordo com a nova campanha global contra o desperdício de alimentos lançada pelo Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA), a Organização da ONU para Alimentação e Agricultura (FAO) e parceiros.

Muita gente pensa que a comida desperdiçada é uma substância benigna. Ela vai parar na terra de qualquer forma, então não tem problema, certo?

Errado! Para que a compostagem aconteça de maneira apropriada, é necessário luz e ar. Nos lixões, não há nada disso. Muito ao contrário — quando essa comida despejada não encontra condições apropriadas para a compostagem, ela produz gás metano, o que contribui para o aquecimento global. Estima-se que nós despejamos um terço de toda a comida que a gente compra toda semana!

Devido à falta de controle de quantidade ou à compra exagerada de alimentos frescos que acabam estragando, nós desperdiçamos uma quantidade enorme de comida.

Siga essas dez dicas para reduzir a sua pegada alimentar e a sua conta de supermercado!

(Com contribuições da NRDC e Wrap UK)

  1. Faça compras de maneira inteligente — planeje suas refeições, faça listas de compras, evite fazer compras por impulso. Não se deixe levar por estratégias de mercado que te convencem a comprar mais do que você precisa, particularmente quando se trata de alimentos perecíveis. Mesmo quando esses alimentos são mais baratos, eles se tornam caros para o seu bolso quando são descartados.
  2. Compre “frutas esquisitas” — em muitos casos, frutas e vegetais são jogados fora porque apresentam tamanho, formato e cor “inadequados”. Comprando essas frutas que, na verdade, estão em perfeitas condições para o consumo, você está utilizando comida que poderia estar sendo perdida.
  3. Entenda as datas de vencimento — nos Estados Unidos, as datas indicadas para venda do produto não indicam a qualidade do mesmo, com exceção de certos alimentos para bebês. Em muitos casos, tratam-se de sugestões do produtor para a qualidade máxima do produto.

No Reino Unido, as datas indicadas em “melhor se consumido até” também indicam genericamente o momento de qualidade máxima do produto. O importante é o “consuma até”: consuma o produto até a data indicada ou verifique se você pode congelá-lo.

  1. Zere a sua geladeira — coma alimentos que já estão na sua geladeira antes de comprar mais ou preparar algo novo,  o que vai também economizar o seu tempo e dinheiro. Siga as recomendações para armazenamentopara manter a melhor qualidade desses alimentos. Alguns websites como o www.lovefoodhatewaste.com (em inglês) podem te ajudar a criar receitas criativas para aproveitar comida que poderiam estragar em breve.
  2. Use o seu congelador — alimentos congelados se mantém seguros indefinidamente. Congele produtos frescos e sobras de refeições se você sabe que não vai consumí-los antes de estragarem.
  3. Peça porções menores — frequentemente, restaurantes oferecem meias-porções por preços menores.
  4. Faça compostagem — você pode reduzir o impacto sobre o clima fazendo a compostagem de restos de comida. Compostagem também recicla nutrientes, que são aproveitados pela terra.
  5. Tenha regras na sua cozinha: o primeiro produto que for aberto deverá ser consumido até o fim antes de abrir um novo. Tenha controle sobre a sua dispensa. Cozinhe e coma primeiro o que você comprou primeiro. Armazene os enlatados mais novos no fundo das prateleiras. Mantenha os mais velhos na frente para facilitar o acesso.
  6. Aprecie as sobras das refeições — o bife de frango que sobrou do jantar de hoje pode ser aproveitado no sanduíche de amanhã. Seja criativo! No restaurante, leve as sobras para casa para poder comer mais tarde. Congele as sobras se você não quiser comer imediatamente. Poucos de nós levamos as sobras dos restaurantes para casa. Não tenha vergonha de pedir!
  7.  Faça doações — alimentos não-perecíveis e alimentos perecíveis que ainda apresentam boas condições de consumo podem ser doados para refeitórios locais, por exemplo. Programas locais e nacionais frequentemente vão até a sua casa para buscar o produto e até oferecem de graça recipientes reutilizáveis aos doadores.

Parceiros